HANDS-ON-TEC: Estratégia de ensino utilizando-se Tecnologias Educacionais Móveis (TEM)

HANDS-ON-TEC: Estratégia de ensino utilizando-se Tecnologias Educacionais Móveis (TEM).

Esse artigo é um guest post escrito por Valdir Rosa[1], Selma dos Santos Rosa[2].

É cada dia mais comum a utilização de computadores portáteis pelos estudantes. Algo que alguns anos atrás se viam apenas nas universidades, os computadores pessoais estão presentes em qualquer contexto de ensino dentro de nossas escolas e, por que não dizer, até mesmo sendo utilizado pelas séries iniciais. Se não há computadores, existe uma infinidade de outros aparatos eletrônicos que podemos encontrar na sala de aula como os iphones, ipods e tablets, conectados 24 horas no “mundo digital”.

Torna-se difícil de imaginar a nossa vida sem ter as tecnologias de comunicação, algo tão comum no mundo de hoje. O baixo custo de telefones móveis permite que professores e alunos tenham acesso ilimitado a diversos conteúdos e a novos instrumentos didáticos pelo qual apresentam a possibilidade de acontecer uma aprendizagem mais colaborativa e relevante.

As escolas com melhores recursos ou por meio de políticas públicas lentamente tentam adaptar-se a “era tecnológica” e introduzem dentro de seus muros algumas inovações como a quadros interativos, laptops educacionais, projetores de imagens 3D e tudo o que é mais novo para acompanhar essa evolução. Por sua vez, os professores que entram em contato com esse cenário, buscam aprimorar-se em cursos de formação continuada para conseguir enfrentar o desafio de utilizar a tecnologia na sua prática pedagógica.

Para utilizar as tecnologias como um meio para se alcançar a aprendizagem de diversos conteúdos e integra-las com as práticas pedagógicas, desenvolvemos uma estratégia didática denominada de Hands-on-Tec (Rosa, 2012) como forma de promover a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) por meio das Tecnologias Educacionais Móveis (TEM), no ensino de Ciências Naturais e Matemática.

Hands-on-Tec

hands-on-tec

Como as TEM facilitam o acesso à informação em qualquer hora e lugar e, utilizados de maneira correta, torna-se uma poderosa ferramenta nas tarefas de aprendizagem dentro e fora da sala de aula. Dessa forma, a Hands-on-Tec foi elaborada para possibilitar que os alunos trabalhem de forma interativa, colaborativa e criativa na busca da solução de um problema, abrir espaço para a contextualização dos conceitos aprendidos e planejar meios para a apresentação dessa solução.

A Hands-on-Tec consiste basicamente em desenvolver competências que compreendem: a observação, a investigação, o registro e a discussão. Por meio dela, durante a realização do trabalho científico, o aluno constrói progressivamente competências de linguagens, tanto orais como escritas, ao mesmo tempo em que elabora o seu raciocínio. Assim, o professor poderá estimular os alunos na sala de aula a discutirem em grupos, ações que poderão solucionar um determinado problema.

O foco principal da Hands-on-Tec é a aprendizagem do conteúdo programático desenvolvido pelo professor. Esta estratégia pedagógica considera, assim como o Conselho de Altos Estudos e Avaliação das tecnologias de comunicação e informação digitais , que sua imersão na educação (BRASIL, 2008):

(a) conduz ao desenvolvimento de uma cultura digital, a qual favorece a ampliação da interação por meio de uma multiplicidade de linguagens e potencializa a inclusão digital da comunidade escolar e da família;

(b) promove a equidade social, considerando as novas habilidades e competências exigidas pela era digital;

(c) amplia o campo de aprendizagem individual para a aprendizagem coletiva e também favorece a capacidade de aprender a aprender;

(d) amplia o tempo e o espaço de aprendizagem favorecidos pela mobilidade e, concomitantemente, o desenvolvimento da autonomia na aprendizagem a qual favorece a educação por toda a vida, defendida pela UNESCO;

(e) constitui múltiplas formas de comunicação que favorecem a interculturalidade, o trabalho colaborativo e cooperativo, a autoria, a coautoria de estudantes e professores, e;

(f) promove a passagem de uma aprendizagem individual (onde o aluno aprende a partir de sua interação com o conteúdo) para uma aprendizagem colaborativa (em que o aluno aprende através das relações com seus pares e também por meio de suas interações com conteúdo, recursos didáticos digitais, etc).

As atividades pelo qual são construídas a partir da Hands-on-Tec possuem três fases distintas: (1) Quebrando a cabeça; (2) Contextualizando e problematizando e, (3) Momento de pesquisa.

Fase 1: Para iniciar a atividade, o professor desafia os alunos com um problema e, logo em seguida, apresenta os materiais que deverão ser utilizados. Antes de receber os materiais, os alunos precisam discutir como irão solucionar o desafio (elaboração de hipóteses) e registram no laptop para depois, solicitar ao professor o material para realizar a atividade (experimentação). Durante essa fase, ao terem a solução do problema, os alunos registram com fotos ou filmagem seus procedimentos.

Fase 2: O professor reúne os alunos em um grande grupo e abre espaço para que todos deem seus depoimentos. Inicialmente, cada grupo expõe o que pensaram (hipóteses) e como conseguiram resolver o problema (solução). É importante que todos tenham tempo de expor suas ideias. Para encerrar essa, o professor poderá introduzir novas perguntas e questionar os alunos sobre a semelhança do que observaram na atividade experimental com o seu cotidiano. Além disso, o professor poderá passar um vídeo que relacione os conceitos envolvidos em outras situações e diferentes contextos.

Fase 3: Para concluir a atividade, os alunos deverão pesquisar, utilizando os meios digitais, os conceitos e explicações dadas pela Ciências e, também, buscar outras situações cotidianas relacionadas ao que aprenderam. Com esse material, deverão preparar um relatório individual para ser entregue ao professor e uma apresentação do grupo, para que todos conheçam o seu trabalho. O professor poderá orientar nessa fase para que os alunos façam seus próprios vídeos, contextualizando o que foi aprendido.

A estratégia Hands-on-Tec é direcionada ao professor com o propósito de dar-lhe um ponto de referência para a utilização das TEM em sua prática pedagógica. Para conhecer melhor a estratégia e ter acesso a algumas atividades voltadas ao ensino de Ciências Naturais e Matemática, disponibilizamos o site www.handstec.org.

Brasil. (2008). Um computador por aluno: a experiência brasileira. Acedido em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/3464/um_computador.pdf?sequence=1.

Rosa, V., Silva, E.E.R. (2012). Laptops Educacionais no Ensino de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. EDUCASUL – 2012. Acedido em: http://www.educasul.com.br/2012/Anais/Valdir.pdf.


[1] Mestre em Ciências Naturais e Matemática pela FURB/SC. Doutorando em Ciências da Educação, especialidade Tecnologia Educativa pela Universidade do Minho/PT.

[2] Mestre em Educação pela FURB/SC. Doutoranda em Educação Científica e Tecnológica (UFSC).

Quer conhecer a técnica que usei para ganhar R$ 1.091,80 em menos de 48 horas?

Gustavo Freitas

Problogger, empreendedor digital e criador do Método Start. Você conhece todos os meus projetos no Gustavo Freitas.Net.

Website: http://gfsolucoes.net

    Deixe uma resposta