Para os que vivem por perto e gostavam dos passeios, eles voltaram com algumas medidas de proteção em relação a covid-19. Os barcos estão circulando com um número reduzido de pessoas por barco.

Jangadeiros retomam passeios em Porto de Galinhas

Os passeios de barco em Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco, foram suspensos no início da pandemia do novo corona vírus. Nesta sexta-feira (31), dia em que foi autorizado o retorno desse tipo de atividade, jangadeiros e turistas tiveram que seguir várias regras para evitar a disseminação da Covid-19

A liberação foi feita pela prefeitura da cidade. A turista Luciene Rodrigues Costa, de Goiás, foi pela quinta vez para a Praia de Porto de Galinhas, a mais famosa da cidade e uma das principais do estado. Nas piscinas naturais, o passeio, desta vez, foi diferente.

“Pela quinta vez, nós estamos aqui e todas as vezes que estivemos aqui foram diferentes. Nessa aqui, nem se fala, porque o mundo está passando por uma grande modificação, então, nós temos que reaprender a viver”, disse.

Ao todo, 84 jangadeiros estão cadastrados para trabalhar na praia, no Centro de Porto de Galinhas. No entanto, eles vão ter que se revezar em grupos de 20 jangadas, por dia, para fazer os passeios. Isso faz parte de uma estratégia adotada pela Associação dos Jangadeiros para tentar uma retomada segura das atividades.

Segundo Sávio Renato Acioly, presidente da associação, medição de temperatura, disponibilização de álcool em gel e higienização da jangada são algumas das ações tomadas para diminuir os riscos.

“Em vez de seis pessoas, que é o máximo de passageiros que a jangada comporta, a gente vai estar levando quatro, mais o tripulante, que é o jangadeiro. E o tempo de passeio também foi diminuído para que não haja aglomeração em cima dos arrecifes. Em vez de uma hora, a gente só está fazendo passeio com 45 minutos de duração”, afirmou.

Na praia, o movimento de banhistas ainda é pequeno, em comparação com o período pré-pandemia. No entanto, segundo Paulo Valente, presidente do Conselho Fiscal da Associação dos Jangadeiros, as pessoas que dependem do turismo se juntaram para fazer a diferença.

“A estratégia é fechar parcerias com o trade turístico daqui de Porto de Galinhas. A gente quer investir também em redes sociais, mostrar o máximo de segurança possível para que os turistas possam vir e se sentir seguros com a família”, declarou.

Para o jangadeiro Carlos Luiz da Silva, que sustenta a família com os passeios em Porto de Galinhas, o retorno é um sopro de esperança por dias melhores. “Foi um pouco difícil, mas acredito que, de agora em diante, vai melhorar e vamos poder sustentar nossas famílias”, afirmou.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.