Se você é pai, mãe ou responsável por uma criança ou adolescente, preste muita atenção nesse artigo, pois ele pode lhe ajudar a moldar o caráter de uma futura geração.

Esse artigo é baseado numa experiência que tive analisando alguns perfis de crianças e adolescentes em algumas redes sociais como Twitter, Facebook, Orkut e Google+. Crianças na grande maioria que eu conheço e sei a idade delas.

E como sou pai de uma criança de 9 e uma adolescente de 14 anos, não fico satisfeito quando recebo pedidos de amizade de crianças que não deveriam estar nas redes sociais, por um simples motivo, é proibido o cadastro de menores de 13 anos nesse tipo de serviço.

E aqui não importa questionar os motivos, ou se as crianças a partir de 13 anos tem condições de frequentar a rede social com menos risco do que os menores de 13 anos.

O questionamento que faço é o seguinte, como eles conseguiram criar seus perfis nessas redes sociais se é proibido? A resposta é simples, eles mentiram sobre a idade real. Conheço uma criança que no dia 17/04/2012 vai fazer 12 anos, mas no Facebook fui avisado que ela vai completar 20 anos.

cuidado com seus filhos nas redes sociais

O que você quer para seu filho é o melhor?

Acredito que todos os pais e responsáveis que lerem essa pergunta responderão que sim, querem o melhor para seus filhos.

Acredito que a resposta não é tão simples. Vamos parar para pensar um pouco sobre o assunto. Você permite que seu filho crie (ou até mesmo cria para ele) um perfil numa rede social utilizando uma data de nascimento falsa.

Minha filha de 9 anos sempre me pede pra criar um perfil pra ela no Facebook e minha resposta é sempre a mesma, você não tem idade suficiente, é necessário ter 13 anos.

O argumento dela também é sempre parecido, me lembrando que algumas amigas dela tem Facebook, e elas não tem 13 anos.

Existem algumas amigas dela que inclusive dizem que foi o pai ou a mãe que “ensinou” um “jeitinho” de passar pela limitação e fazer o cadastro e se oferecem pra pedir a eles que criem um perfil pra ela, já que o pai dela não é “esperto” o suficiente pra enganar o Facebook ou qualquer outra rede social.

É isso que você quer para seu filho? Que ele saiba como dar um “jeitinho” em tudo? Se a resposta for não e você tiver criado o perfil para seu filho em um momento de descuido ainda dá tempo de voltar atrás, conversar com ele sobre o assunto e deletar a conta.

Reconhecer que está errado, que falhou, não é um sinal de fraqueza, principalmente quando precisa fazer isso para alguém que está sob sua responsabilidade. É um sinal de força, de caráter e de que é mais que apto para a liderança. Só os fortes reconhecem os erros e aprendem com eles.

Conclusão

Esse artigo é um desabafo de uma pai que tem constantemente que negar a sua filha algo ao qual ela ainda não tem direito. Tentando mostrar a ela, nessa sociedade onde querem ensinar que tudo é permitido, que não podemos dar um “jeitinho” em tudo. E também um pedido de “mão na consciência” de alguns pais e responsáveis, que tornam o meu trabalho difícil, pensem nos valores que estão passando para seus filhos.

E você, o que acha sobre o assunto? Já passou por uma situação parecida? Concorda com o meu posicionamento ou acha que estou sendo muito rigoroso? Deixe seu comentário, vamos abrir um debate saudável sobre o assunto.

Crédito da imagem: Stock photo

Gustavo Freitas

Problogger, empreendedor digital e criador do Método Start. Você conhece todos os meus projetos no Gustavo Freitas.Net.

Participe da conversa

Sem comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Pelos comentários parece que não te entenderam.
    Você quis dizer que estava tentando mostrar para sua filha que burlar regras é errado. Apesar da maioria não acreditar que as regras sejam feitas para seu próprio beneficio. É isso?

    Tal qual a cadeirinha no banco de trás do carro, todos acham que dar um jeitinho e motivos para não usar.

    É triste, mas as vezes penso que as pessoas acreditam que burlar essas regras fazem delas e de seus filhos mais espertos e melhores que os outros.

    1. Luciana,
      Acredito que alguns entenderam sim. O que queria dizer era isso mesmo e mais um pouco, fazer um apelo aos pais e responsáveis pra facilitar meu trabalho, ou seja, mostrar também pra seus filhos que burlar regras é errado.
      Eu também acredito que as pessoas que burlam esse tipo de regra se acham melhores, mais “espertas”.
      Abraço.

  2. Gustavo, você está certíssimo. Sempre tive esse mesmo pensamento. Passarei o mesmo aos meus filhos. Somente controlando as suas vontades, poderemos passar disciplina e responsabilidade a eles.

    Parabéns! Pela atitude e pelo artigo.

    Abraços!

  3. Gustavo,

    Vc está correto em sua postura. Deus nunca quebrará estes dois princípios estabelecidos por Ele: filhos devem se submeter a seus pais e os pais são responsáveis por seus filhos.

  4. Muito legal o tema, vou fazer 14 anos em maio, mas quando tinha 8 anos eu criei um perfil no orkut, mas nem sabia direito o que falar, e dei o “jeitinho” para poder entrar, por que só podia quem tinha mais de 18.

    1. Ian Filipe,
      como relatei no artigo, a responsabilidade é dos pais e responsáveis, eles precisam monitorar e estar atentos ao que acontece com seus filhos.
      Obrigado por compartilhar sua experiência.
      Abraço.