Expresso do Amanhã: O que esperar dessa série da Netflix? A plataforma de streaming resolveu soltar um episódio por semana e tem feito muito sucesso. Estou assistindo e já tenho as primeiras impressões.

Tem um filme de 2013, que está disponível na Amazom Prime, que conta com Chris Evans (Capitão América) no elenco . Assisti o filme e posso dizer que o enredo dos dois tomou rumos diferentes. A única semelhança é realmente o contexto social de várias pessoas dentro de um trem num mundo que acabou congelado após tentativas frustradas de parar o aquecimento global.

Então se assistiu o filme e não gostou, dê uma chance para a série, que na minha opinião é muito melhor, tanto em enredo como em fotografia.

Expresso do Amanhã – a série

Expresso do Amanhã

A série Expresso do Amanhã é o tipo de série que pode surpreender, porque tem o que chamamos de subplots, que podem se tornar extremamente interessantes, ou fazer com que a série “se perca” e seja cancelada rapidamente. Por que digo isso? Você vai entender mais adiante.

Vou comentar o que venho achando do Expresso do Amanhã, o que essa série tem de interessante e por que você deveria dar uma chance a ela, independentemente de ter visto o filme original ou ainda se não gostou dele, pois, a série tem demonstrado que vai seguir direções diferentes e originais do filme.

Se você está assistindo a série e discordar do que eu disser, comente abaixo! Vai ser um prazer conhecer novos pontos de vista!

O que eu considero interessante no Expresso do Amanhã?

Essa é uma série de ficção distópica com forte apelo social, trazendo a você a história de um mundo devastado por uma nova era do gelo causada pela própria humanidade. As únicas pessoas que sobreviveram foram aquelas dentro do Expresso do amanhã, um trem que circula o mundo todo e por isso não congelou e mantém as pessoas vivas dentro dele.

A vida dentro do trem é menos maravilhosa do que parece, pelo menos para a maioria das pessoas. Um sistema de castas baseado em primeira classe, segunda classe, terceira classe e a cauda, que são, basicamente, pessoas que não pagaram passagem para entrar no trem quando ele partiu.

Tudo começa a mudar quando Layton Well, um dos moradores da cauda, é chamado para resolver um assassinato na primeira classe por Mellanie Cavill, o que acaba fazendo com que toda a trama social fique em segundo plano, enquanto o assassinato em si é colocado como o subplot principal.

Esse tipo de desenvolvimento em séries pode se tornar muito interessante, desde que a equipe de roteiro e a direção não se percam. Plots secundários se movendo enquanto o plot principal se desenvolve ao fundo até chegar ao seu ápice é uma forma interessante de manter uma série ativa por mais tempo.

Por que dar uma chance a Expresso do Amanhã?

Além de ser uma série bem construída e com excelentes atores (Jennifer Connely e Daveed Diggs são os protagonistas) a série ainda traz discussões sociais de forma divertida e cheia de relações com o mundo real, sem tirar o toque de ficção do meio do caminho.

Além disso, como as distopias revolucionárias andam em voga nos últimos tempos (desde jogos Vorazes à Handmaid’s Tale, passando por the Man of the high Castle e tantas outras) Expresso do Amanhã junta-se ao coro de forma competente, mas sem ser copiado demais.

Isso é possível porque, originalmente, a história foi lançada como uma HQ na França, nos anos 70. Depois de muitos anos ganhou novo interesse, foi terminada, virou filme e, finalmente, série.

Gostou da resenha? Comente quais as próximas séries que você gostaria de ver aqui e confira outros artigos meus!

Leia também

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.